24 de fevereiro de 2012

É tarde.
E porque é tarde
Não és bem vindo
As noites.
Conduzo-me a paz
De todo recomeço.

Um comentário:

Gabriel P. Knoll disse...

prefiro a guerra. A paz é chata e enfadonha. Os sujeitos ficam desmemoriados - a guerra parece ser um mal necessário. Não vemos artistas em paz consigo fazer bons trabalhos; humoristas felizes não existem; pintores alegres são os piegas que enquadram repartições públicas.