18 de janeiro de 2012

A palavra não (mal)dita

Se algum céu é capaz de abrigar o ninho da verdade, este azul só poderá voar junto ao verbo que ressoa a três. Algum elemento trará o não dito – em nome do amor que não suporta a nudez das palavras, por isso veste-se de flores e orvalho da manhã, buscando algo próximo ao infinito das noites. São muitos os olhares fragmentando aquilo que só poderia ser visto a dois. Ao contrário do que ressoa do alto, o que é doce abriu as portas.

Nenhum comentário: