3 de novembro de 2011

Atualidade sobre o tema tristeza

É, ando triste, de fato...contemplando o que não vejo. Andei sozinha pelo deserto durante muito tempo e desacostumei o diálogo. Ainda tudo parece imenso ao meu redor, e distante. No auge da minha dor e solidão, me deparei com algumas miragens. Acostumei a achar que tudo são espinhos e por isso tenho em mim um punhal. Poucos segundos apenas me permito desarmar, é quando a chuva cai, e lava a grossa camada de poeira que fixa no meu corpo e me petrifica. Alguns poemas ainda florescem, embora falem sempre, dessa dor de andar sozinha pelo árido deserto da incompreensão. 
                                     “como dizer sobre o que não faz parte da minha tristeza?”

Nenhum comentário: