30 de setembro de 2011

Expectativa

A expectativa tem passos largos e vai sempre a frente. Mantém distância da realidade e por ter um ritmo diferente do real, tem sempre uma visão distorcida das coisas. A expectativa enquanto experiência do por vir, é um exercício de imaginação e por estar ligada a mente é capaz de provocar diversos tipos de sensações, das mais prazerosas, as mais doentias. A expectativa, embora duvidem, não está, de maneira alguma ligada a outros. Do contrário, pertence ao campo do individual. O outro até pode participar da construção da minha expectativa, mas somente pelo meu consentimento, porque sonhar a dois é um exercício duplo imaginativo, e portanto, duplicam-se as possibilidades de prazer. O tempo de vida da expectativa está, ao meu ver, diretamente relacionado ao nível de consciência que se tem. É uma medida simples: quanto maior a consciência, menor a expectativa (com relação a outros). O que está fora, no caso, o outro, nada pode me acrescentar e nada pode subtrair. A falta de consciência desse fato gera, então, a expectativa. É quando acredito que o outro pode me acrescentar alguma coisa, pode me fazer feliz, me elevar, e alguns muitos acreditam até, que o outro pode me ‘completar’, numa visão distorcida de que somos apenas ‘parte’, nos encontramos num caminho escuro. Não faço apologia ao ostracismo, de forma alguma. Sei da importância do coletivo e sei que somente nos tornamos quem somos, quando estamos em relação a outros. Porém, quando falo da expectativa, falo de algo ligado ao imaginário alienado da realidade, porque ninguém, de fato é responsável pela minha vida e muito menos pelas minhas expectativas. Se isso fosse uma verdade, viveríamos num emaranhado de expectativas que nunca se completariam, porque ninguém consegue, a menos que se anule totalmente (e isso não é possível para sempre) corresponder a expectativa de todas as pessoas com as quais se relaciona. Quando eliminamos as expectativas, damos chance para sermos surpreendidos pela vida, para o inusitado, e ainda mais, damos chance para que tanto nós, quanto as pessoas a nossa volta, sejam verdadeiramente quem são.  Sonhar é importante. Saber-se inteiro. Felicidade, é ter expectativas sim, mas para nos sabermos inteiros e únicos responsáveis pela vida que esperamos ser!

Nenhum comentário: