17 de junho de 2011

a conhecer

Não te aborreças de mim,
Das vezes em que recuo a tua porta.
É porque ainda vejo
Aqui fora, um sol maior.
(embora tudo seja céu)

Nenhum comentário: