10 de abril de 2011

Ausência

são nas noites imensas, quando ouço o silêncio das vozes todas, que me percebo sem mim: ausente. isso me parece tudo. também a dor que isso que me causa. acontece porque me canso da imensidão das noites, quando me percebo sem mim.

5 comentários:

Fernando disse...

as noites sao assim, intensas... mas tambem ausentes

Ricardo Steil disse...

Hoje não comentarei nada
Hoje não postarei um verso
Tudo ficou lá dentro
Em pleno segredo
Em pleno silêncio
Mudez total
Esperando para vir a tona
Pessoalmente

Ricardo Steil disse...

Adorei o título.
Aproveitando, que tal o título do teu: Poemas Ariscos Montados Pelo Espírito Reflexivo da Poetisa Menina ;-)

Ciça Molina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ciça Molina disse...

Não sentia mais sua ausência porque eu também era ausência....