21 de fevereiro de 2011

Para Quintana

e por ser igual a muitos, ia atrás das borboletas, 
que por falta de jardins, eram raras naqueles tempos. 
de tanto voltar de mãos vazias, começou a semear, 
e a florescer.

2 comentários:

Ricardo Steil disse...

Nossa parece com a minha vida!

Fernando disse...

Simplesmente... Fascinado!!!