20 de janeiro de 2011

Para tua alma comer

Dou-te minha boca em desordem.

4 comentários:

Fernando Cid disse...

A desordem é honesta, flôr de Lotus!

Farley disse...

Que provocação!!!

Ricardo Steil disse...

Um haicai? Não um poema minimalista ao extremo, quase um Oswald mas com uma sensualidade beirando Anäis Nim.

qoelheX disse...

A Biltre e Brejeira resolveu dar as caras... mas não vejo ninguém, nenhuma referência, só a impudica e desbriada...