9 de novembro de 2010

Ânsia

Queria ter contigo um dia inteiro.
Queria saber do teu cheiro pela manhã.
Queria saber a quantas anda teu desejo quando de ti despertas.
Queria saber o que tem entre teu sono e teu desejo.

Estaria ali contigo, logo pela manhã.
Estaria alerta em olfato para sentir teu cheiro ainda quente.
Estaria resoluta para teu desejo desperto.
Estaria em destreza, entre uma coisa e outra para te conter.

Seria contigo, o clarim da tua alvorada.
Seria contigo, o composto dos cheiros.
Seria em ti e para ti, a cobiça e o querer.
Seria o que está entre teu sono e teu desejo – teu sonho!

4 comentários:

Teacher's Pet disse...

A ânsia... sentir fome suficiente para comer o mundo, sabendo que ele não cabe todo na boca... Sei como é isso hehehe.

Devir disse...

Blog interessantissimo! ;D

qoelheX disse...

Fiquei molhadinho...

Ricardo Steil disse...

Belíssimo poema. Adorei a técnica construtiva dele, denominada de epífora (repetição de uma palavra, no caso no inicio de cada sentença que forma o verso. Você está me surpreendendo a cada dia, como disse daqui há pouco ficará difícil analisar, visto que para perfeição não existem palavras. Beijos ;-)