4 de outubro de 2010

costurando

um dia achei atrás da casa a coroa de Cristo que brotava da terra, mistério, mantive segredo, falo outra língua. um dia achei um pedaço de árvore em formato de bife, corri de um lagarto e quando voltei já não era mais, fome. fui mãe aos 5 anos de uma boneca azul sem um olho, precoce. meu primeiro livro foi de mitologia grega: pq Édipo demorou tanto para decifrar o enigma? decifra-me ou devoro-te? pq não se deixou devorar? não escovava os dentes. não comi o bife! odiava circo. já era grande. sabia que minha cabeça era pequena para tanta idéia. dor. tinha sempre 2 anos a mais. fui apresentada ao vinho. devia ser o sangue de alguém muito bom. a cerveja devia ser o xixi de alguém amargurado. os grandes monstros estavam escondidos nas montanhas. beijar era molhado. mas era necessário escovar os dentes. minha cabeça começava a doer de tanta idéia. coroa de Cristo. comecei a ensinar minha boneca a escovar os dentes. queria combinar boca e unhas com o vinho. meninos são legais. me olham quando vermelho. quero saber da idéia que tem dentro da cabeça de cada pessoa. mistério. psicologia. minha cabeça continua pequena pra tanta idéia. análise. descubro qual meu tipo. descubro que tenho uma sombra. mantenho segredo. mistério. trauma. análise. a realidade não é essa que aprendemos na escola. o tempo não existe. todos estão conectados. mistério. idéia de criança. circuambulação. confirmei agora. já sabia. olho meu corpo. ele cresceu. quer saber de desejo. quer saber de meninos. quer saber o que se passa na cabeça deles. me entrego. amo. já posso contar meus segredos. já posso beijar meninos pois já escovo os dentes depois de comer um bife com meus lábios carmim. não carrego mais a coroa de Cristo como segredo. minha cabeça não dói e minhas idéias agora cabem todas dentro dela. Édipo não foi devorado.


Nenhum comentário: