17 de outubro de 2010

(acerca do silêncio)

que não ouças mais vozes que não seja a tua própria!
cala-te para o mundo!
abre teus olhos-ouvidos para tua alma,
da qual pouco sabes a melodia!
...
demasiadamente alto fala meu silêncio
ensurdece-me de tanta oratória
silencio para ouvir-lhe, mas ainda me falta quietude
...
meu silêncio dá voz a minh’alma,
se ergue no mais alto grito
e dela sussurra os mais lindos versos
...
me perturbaria em demasia meu silêncio, se a mim falasse
em outro tom, do que pedi e perdi
enquanto não cerrei meus lábios para ouví-lo