12 de setembro de 2010

o moribundo-sombra

dia desses, num determinado lugar
pus-me a observar os olhares das pessoas enfermas
dia frio, cheio de tormentas
(talvez não fosse o dia frio nem de tormentas mas o que eu observava)
as enfermidades eram distintas, imprecisas
mas os olhares
tenebrosos, distantes, lacrimejantes, cerrados, fugidios
tinham certa semelhança
o olhar que denuncia um corpo que agoniza
um corpo que anuncia que a alma quer partir
parece chegado o tempo da alma padecer
ou da alma ser ouvida
porque a enfermidade fala da condição da alma no mundo

ali, naquele lugar
num momento preciso
como num movimento ensaiado
todos os olhares se voltam para uma figura esquálida, arqueada, minguada
que adentra o espaço
tem os punhos e os pés algemados
também era um enfermo
também sentia dor
também buscava entendimento para a condição de sua alma no mundo
mas trazia consigo explicitamente seu delito
(esse foi o agravo, de ser explícito, pois apenas os delitos ocultos são aceitáveis)

seu olhar não podia ser visto
estava cabisbaixo
talvez por já ter entendimento sobre os olhares de censura que
encontrariam os seus
seus olhos agora eram os olhos da figura de lei que o acompanhava

naquele ambiente os olhares se transformaram
ao fitar aquela figura enferma e criminosa
os sussuros diziam de um certo conforto e desconforto
conforto porque a alma daquele moribundo certamente estava em pior situação
tinha, além de uma enfermidade, um crime
e que bênção e alívio saber que existem criaturas
em condições piores que as nossas
desconforto causado pelo medo do sombrio daquela figura
pelo sombrio individual espelhado naquele moribundo

o moribundo é levado ao guerreiro-heróico na figura do médico

agora, os sussuros são de alívio, os olhares se acendem
há uma aura mais leve no ar
que doce a ilusão desse segundo
onde se pode tentar enganar a alma
onde se pode tentar fugir da sombra

o que não se sabe é que ela só foi ali, numa breve consulta médica
e já retorna
talvez em vias de cura para continuar nos acompanhando
vida afora, vida adentro.